Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Bora lá Viajar!

Um blog de viagens de uma sonhadora que quer partilhar as suas experiências com o mundo.

Dom | 26.07.20

Bruges // O meu dia na cidade medieval da Bélgica

Joana Lameiras

Canal em Bruges.jpg

 

Bruges: uma das cidades europeias que mais gostei de visitar e o meu dia favorito na minha viagem à Bélgica. Foi também o dia em que estive super doente e com vontade de cair para o lado, mas nem isso conseguiu manchar a impressão espetacular com que fiquei desta cidade.

De manhã, apanhámos o comboio de Bruxelas para Bruges. Na Bélgica, a SNCB (a empresa de transporte ferroviário do país), tem um tipo de bilhete de ida e volta de fim-de-semana que se pode comprar e utilizar em qualquer momento de sábado e domingo e que fica a metade do preço de um bilhete comprado durante a semana. Tem que ser comprado online, penso eu, e no caso de Bruxelas-Bruges, ficou a 15.80€.

Como era sábado, tivemos sorte e pudemos usufruir desta vantagem. Metemo-nos dentro do comboio, que é super confortável, e partimos rumo a Bruges.

 

Viagem de comboio na Bélgica.JPG

 

Passado 1h, chegámos ao nosso destino. Para ir para o centro da cidade, passámos pelo parque Minnewater, cujos lagos estavam parcialmente congelados, tal era o frio.

 

Minnewaterpark.jpg

 

À medida que nos íamos aproximando dos pontos turísticos, fomos reparando nas cores da cidade, sempre nos tons acastanhados, nas paredes de tijolo, no tipo de arquitetura das casas que dava um encanto especial às ruas. Só caminhar por Bruges é suficiente para se sentir que se está num sítio diferente, quase de outro tempo, com carruagens e cavalos a passarem, e os canais lindos que também contribuem para aumentar a beleza da cidade.

 

Vista para o canal em Bruges.jpg

Jardim em Bruges.JPG

 

Entrámos na Igreja de Nossa Senhora primeiro. A entrada é gratuita e a igreja é bonita por dentro, mas o que salta realmente à vista é a parte exterior - a sua torre tem 122 metros de altura e é a mais alta de Bruges.

Decidimos de seguida ir experimentar a lendária cerveja belga. 

 

fork.png  Cerveja

Moja ulubiona piwiarnia - Esta cervejaria tinha imensa variedade e tinha também menus giríssimos que estavam pendurados no teto por um elástico e que tinham de ser puxados por nós para os lermos. Para cada cerveja existia um copo específico e pedimos todos diferentes. Não posso dizer que tenha gostado da cerveja que pedi porque não sou nada apreciadora da bebida no geral, mas os meus amigos gostaram. Um deles também pediu uma salsicha (eu não pedi porque era um pouco caro) e estava bem boa! Mas o que eu realmente gostei muito no bar foi a sua localização. Tem esplanada, que é mesmo à beira da água, e tem uma vista para o outro lado do canal. A esplanada estava decorada com luzes pequeninas, que lhe deu bastante graça. Na fotografia seguinte, o bar é onde está a árvore decorada com bolas.

 

Bruges.jpg

Cerveja em Bruges.jpg

 

Para adoçar a boca, seguimos para uma waffle com chocolate.

 

fork.png  Waffles

House of Waffles Brugge - Waffles muito boas, apesar de ter deixado cair metade da minha no chão... mas a regra dos três segundos existe para alguma coisa :’)

 

Eu com uma waffle em Bruges.JPG

 

O que há mais nesta cidade são chocolaterias. Em cada canto há uma e não me estou, certamente, a queixar. Mas se és um amante de chocolate como eu, tens de ter muito força de vontade para não esvaziares a carteira em cada loja que encontras. A variedade de chocolates é tanta, e têm tão bom aspeto, que ainda nem sei como é que trouxe só 4 caixas de trufas para Portugal.

Passeámos durante bastante tempo nas lojas, tanto de souvenirs como de chocolates, enquanto caminhávamos rumo ao próximo destino.

Seguimos para Grote Markt, ou Grande Praça, traduzido do holandês. Muito, muito gira, com casas típicas coloridas e outros edifícios imponentes, nomeadamente o Campanário de Bruges. Esta, para mim, é a edificação mais bonita de Bruges. Decidimos não subir pois pagava-se e, para além do mais, havia bastante fila, o que significava que iríamos ter de passar bastante tempo nesse local. 

 

Grote Markt.jpg

Campanário de Bruges.jpg

 

Nessa mesma praça decidimos, finalmente, pedir batatas fritas, outra das comidas típicas da Bélgica.

 

fork.png  Batatas fritas

As batatas eram de uma rulote e infelizmente não consigo encontrar o nome :( Era a única da praça, mas não faço ideia se costuma ou não estar sempre lá. As batatas eram facilmente as melhores que já comi e tanto a maionese como o ketchup eram magníficos! Recomendo a maionese, foi o que pedi e foi o meu molho favorito dos que provei. A foto seguinte é das batatas da minha amiga Telma, com ketchup.

 

Batatas fritas em Grote Markt, Bruges.JPG

 

Assim que acabámos de comer, fomos para a Praça de Burg. Embora mais pequena e menos rica do que a Grote Markt, é também muito gira e é nela que se situa a Basílica do Sangue Sagrado, um ponto bastante turístico de Bruges. Mais uma vez não entrei na basílica, mas a entrada é gratuita, por isso para quem tem tempo e interesse deve valer a pena. Tenham só atenção para não a deixar passar despercebida, porque no meio de tantos edifícios, não se destaca muito na praça.

 

Praça de Burg.jpg

 

Para terminar o dia, como ainda tinhamos uma ou duas horas antes do comboio partir, fomos para um local por muitos considerado o mais fotogénico de Bruges: Groenerei. Groenerei é uma parte do canal que passa na cidade e as pontes que o atravessam são excelentes lugares para tirar umas boas fotos. Passámos mais de meia hora neste sítio, que, por causa de ser inverno, estava bastante deserto. Recomendo muito, são as vistas mais bonitas para o canal!

 

Groenerei.jpg

Vista em Groenerei.jpg

 

Mesmo antes de regressarmos a Bruxelas, passei por uma última chocolateria para beber um chocolate quente.

 

fork.png  Chocolate quente

The Chocolate Crown - Numa zona menos turística, os preços decrescem significativamente e fiquei satisfeita por esperar até encontrar esta loja para comprar um chocolate quente, porque foi bastante barato. Da marca Le Comptoir de Mathilde, este chocolate quente é apenas um bloco de chocolate sólido com uma colher de madeira espetada no meio, que se derrete e fica delicioso quando mergulhado no leite. Penso que ficou em 2.5€, um preço único para esta cidade tão turística!

 

Na viagem de regresso, sentiamo-nos todos extremamente cansados mas felizes pelo dia que tínhamos tido! Ainda tive a oportunidade de conhecer um rapaz de Ghent, que me falou da sua cidade e me deixou com pena de não termos tempo de a visitar durante esta viagem.

No geral, Bruges foi encantador. É tudo muito perto e todas as ruas são cheias de vida (e de armadilhas para turistas).  É uma daquelas cidades que nos faz sentir como se estivéssemos dentro de uma história, a viver numa outra época ou num conto de fadas, e merece definitivamente uma visita!

 

Guarda este post no Pinterest!

Bruges - Um dia na cidade medieval da Bélgica.png